Você já deve lido notícias ou assistido na TV matérias sobre o aumento do número da clonagem de celular. Segundo os últimos dados divulgados, estima-se que mais de 5 mil pessoas já foram vítimas de criminosos virtuais.

O número só cresce e preocupa, já que com a portabilidade forjada do celular os criminosos conseguem acessar tudo que está relacionado ao chip do aparelho, como mensagens, aplicativos de conversa, redes sociais e contas bancárias – incluindo o roubo do dinheiro das vítimas.

Como funciona

A clonagem do aparelho funciona do mesmo jeito quando o smartphone é perdido ou roubado: o dono – ou o criminoso, neste caso – ativa o número em um novo chip.

Tudo começa com o phishing (roubo de dados por meio de mensagens ou e-mails falsos), vazamento de informações pessoais ou pela compra de dados de possíveis vítimas.

Com os dados em mãos, o criminoso entra em contato com a operadora, fingindo ser dono da linha, ativando o número do celular da vítima em um chip fraudulento.

Pronto, o golpe está feito: a vítima tem a conexão de seu chip cortada e todas as mensagens e ligações passam a ser direcionadas para o chip do criminoso.

Clonagem de WhatsApp

Com a ativação do chip fraudulento, as conversas e contatos do WhatsApp são carregados e as conversas e dados expostos aos criminosos. Com tantas informações em mãos, mensagens são enviadas aos contatos do verdadeiro dono da linha, simulando alguma situação de urgência e emergência, pedindo dinheiro para amigos e familiares das vítimas.

Nem mesmo a autenticação de dois fatores ajuda neste caso de clonagem de celulares, isso porque, com acesso ao SMS da vítima, a recuperação de senha e acesso a aplicativos do banco e de cartões de crédito se torna fácil.

Como evitar

  • Prefira aparelhos mais modernos de smartphone, que dificultam a clonagem do chip
  • Não clique em links estranhos de SMS ou e-mail pelo celular – principalmente os que dizem que vão atualizar o sistema do aparelho
  • Desconfie de ligações que fingem ser da sua operadora e pedem seus dados pessoais ou para que você digite no teclado do aparelho algum número
  • Só conserte seu celular em lojas autorizadas
  • Tenha um bom antivírus instalado no celular
  • Não use redes Wi-Fi públicas sem proteção na conexão
  • Se desconfiar de algo estranho com sua linha, ligue imediatamente para sua operadora e peça o bloqueio

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Coloque seu nome aqui